quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

POR QUE CAXIAS e NOVO HAMBURGO ESTÃO NA FINAL?

UMA DICA PARA OS DIRIGENTES DO FUTEBOL PELOTENSE - LEIAM, POR FAVOR!

GAUCHÃO 2012 - Final da Taça Piratini
 Álisson Coelho e Daniel Angeli*

Pela primeira vez desde que o Campeonato Gaúcho adotou a fórmula atual, haverá uma decisão de turno sem a presença de Grêmio ou Inter. Mesmo sem o poderio financeiro da Dupla, Caxias e Novo Hamburgo têm as melhores campanhas da competição e disputam, nesta quarta-feira, o título da Taça Piratini.

Saiba quais são as receitas desses clubes para chegar à final:

Caxias

Surpresa, só mesmo para quem acompanha de fora. Comissão técnica e jogadores do Caxias não classificam como acaso a campanha no Gauchão. O fato é que a chegada do clube à decisão da Taça Piratini, amanhã, às 22h, contra o Novo Hamburgo, com apenas uma derrota e a eliminação do Grêmio, quebrou todas as bancas de apostas feitas antes do Estadual.

Trabalho. Eis a explicação para o sucesso. A própria direção não esperava uma resposta tão boa do grupo, reformulado neste ano.

– Não achamos que o grupo fosse maturar em tão pouco tempo. Foram trazidos reforços e um time precisa de tempo para adquirir entrosamento – afirma o diretor de futebol Marcus Vinícius Caberlon.

Um dos principais responsáveis por conseguir azeitar o time e fazer com que a filosofia de trabalho fosse assimilada em tempo escasso foi o técnico Paulo Porto.

– Não tinha dúvida, pela dedicação e entrega dos jogadores – salienta o treinador, no melhor momento da carreira de 13 anos.

O treinador afirmou ontem que não conseguiu dormir na noite seguinte ao duelo contra o Grêmio. Na lembrança, outro momento marcante. Em 2007, quando o Veranópolis, então dirigido por ele, eliminou o Inter campeão mundial do ano anterior, do Gauchão.

– Foi a confirmação da campanha. Eu tinha a convicção de que não seríamos eliminados. Nós tínhamos uma equipe melhor e o Grêmio jogadores mais caros e um time em formação.

O presidente Osvaldo Voges é outro que não cabe em si de felicidade. Desde que entrou no futebol, em 2007, ainda como investidor do Caxias, ele não vivia um momento tão bom.

– Nos outros anos, a bola batia na trave e saía. Agora, ela bate e entra – ressalta.

Novo Hamburgo

A geografia foi responsável por transformar o Vale do Sinos em um caldeirão. No calor dele, o Novo Hamburgo se preparou para ir à final da Taça Piratini. Desde 2010, o clube é um dos poucos do Interior que consegue manter o departamento de futebol funcionando o ano inteiro. Investindo nas categorias de base, montou um grupo que mescla experiência e juventude.

Salários em dia e uma administração forte levaram o clube a manter investimentos expressivos nos últimos dois anos. Além disso, desde as goteiras nas cabines de imprensa até problemas pessoais dos jogadores passam por um homem: Maurício Andrade, o diretor executivo.

– Acabamos com a cultura da passividade. Aqui todas as tarefas são executadas na hora, nada fica para depois – afirma o diretor.

Mas o fluxo de recursos no clube não é suficiente para todas as contas do Estádio do Vale. Para o dinheiro render é preciso criatividade.

– Procuramos um empresário para colocar uma placa publicitária no estádio. Ele disse que não tinha dinheiro para investir, mas poderia nos dar um colchão que valia R$ 3 mil. Fizemos um contrato de um ano, sorteamos o colchão e arrecadamos R$ 5 mil – lembra Andrade.

Enquanto muitos dos clubes montaram seus elencos para a disputa do Gauchão, o Novo Hamburgo formou sua base na Copa Laci Ughini, desde a chegada do técnico Itamar Schulle, há nove meses. Dos 33 atletas do grupo profissional, nove chegaram neste ano.

– Fizemos contratações para agregar, não para formar um time completamente novo. Esse é um diferencial importante – afirma o treinador.

*alisson.coelho@zerohora.com.br e daniel.angeli@pioneiro.com

CBF : O destino de Teixeira e seus parceiros

Envoltos por irregularidades, presidentes de federações decidem futuro de Teixeira na CBF

Ricardo Teixeira participa de assembléia e pode deixar a presidência da CBF

A CBF realiza nesta quarta-feira, às 14h, uma assembleia extraordinária que reunirá os 27 presidentes das federações estaduais. O encontro que ocorrerá no Rio de Janeiro deve definir o futuro de Ricardo Teixeira, que tem sofrido forte pressão para deixar o comando da entidade que preside devido a uma série de denúncias de corrupção.


Boa parte dos presidentes das federações, porém, não chega com muita credibilidade para cobrar lisura do mandatário da CBF. Além de manter forte ligação com Teixeira, a maioria dos dirigentes enfrenta ou já enfrentou acusações de corrupção e outros desvios administrativos.

De acordo com convocação feita pela CBF, a assembleia desta quarta-feira será realizada para “discutir e deliberar sobre reforma parcial do Estatuto” da entidade. Para aprovar qualquer mudança, é preciso dois terços dos votos dos presentes.

CONHEÇA OS 27 PRESIDENTES DE FEDERAÇÕES QUE VOTARÃO NESTA QUARTA

Gustavo Dantas Feijó (Alagoas)
Presidente da federação desde 2007. Em 2010, ele foi preso por desacato após ter um veículo apreendido por suposta boca de urna. Em entrevista ao UOL Esporte, Gustavo se defendeu dizendo ter sido vítima de uma armação. Ele apoiava o candidato do Renan Calheiros em Boca da Mata, na grande Maceió. Ele diz inclusive que os carros foram apreendidos por documentação irregular, e não por boca de urna. Mas admite ter passado a noite na prisão.
Antônio Aquino Lopes (Acre)
Dirigente comanda a Federação desde 1988, com oito mandatos consecutivos. Advogado, deu seu nome ao estádio Arena da Floresta, construído pelo Estado.
Carlos Orione (Mato Grosso)
É o segundo presidente de federação há mais tempo no poder. Com 75 anos de idade, comanda a entidade matogrossense há 31 anos.
Roberto Goes (Amapá)
Presidente da Federação Amapaense desde 2004 e também prefeito de Macapá. Em dezembro de 2010, foi preso na sede da PF em Brasília, acusado de destruir e ocultar provas da operação Mãos Limpas, deflagrada dois meses antes. Ficou detido até fevereiro de 2011, quando retornou à prefeitura de Macapá sob protestos da oposição. Como está sempre ocupado com os trabalhos na Prefeitura, quem toca a federação, na prática, é Paulo Rodrigues, seu vice-presidente.
Dissica Valério Thomaz (Amazonas)
Está há mais de 20 anos na presidência. Foi acusado pelo Ministério Público local de cometer irregularidade nas eleições e de problemas com a Previdência Social. Por isso, em 2009, a Justiça nomeou um interventor para a federação. Só que o interventor escolhido para a função foi justamente Dissica Valério. Em dezembro de 2010, ele foi destituído do cargo pela Justiça, mas voltou ao poder 14 dias depois por decisão do desembargador Arnaldo Carpinteiro Peres.
Ednaldo Rodrigues (Bahia)
Presidente desde 2001. Foi denunciado pelo Ministério Público Baiano em 2009 por ter adulterado o documento de Liedson para forjar uma suposta passagem pelo Poções de 1993 a 2000 (Liedson esteve na Liga Valenciana de Futebol de 1995 a 1999). Com a fraude, ele garantiria ao Poções uma renda por ser um suposto clube formador. O processo contra Rodrigues aguarda julgamento no Tribunal de Justiça da Bahia. Na primeira instância, ele foi absolvido.
Miguel Alfredo (Distrito Federal)
A Federação Brasiliense era comandada por Fábio Simão e Paulo Cesar Araujo, que se envolveram no escândalo do mensalão do Arruda. A gestão da dupla tem dois processos contra si, e a Justiça decidiu afastar toda a diretoria por conta das acusações de irregularidades. Neste ano, a entidade passou a ser comandada por Miguel Alfredo, administrador provisório indicado pela Justiça. As contas da FBF estão bloqueadas. Ela vive de arrendamento de estádios e não recebe a “mesada” da CBF
Francisco Cesário (Mato Grosso do Sul)
O presidente da Federação Sul-Matogrossense foi condenado em primeira instância em 2009 a dois anos de prisão por desvio de verba pública destinada à entidade. Recorreu e conseguiu anular sua condenação na segunda instância. O Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul entendeu a prazo para punição prescreveu por demora na investigação do caso.
Mauro Carmélio (Ceará)
Comanda a Federação Cearense desde junho de 2009. É advogado com especialização em direito esportivo e já trabalhou como assessor jurídico e vice-presidente da entidade.
André Pitta (Goiás)
Assumiu a presidência da Federação Goiana em 2007, após exercer outras funções na entidade. Aliado fiel de Ricardo Teixeira, não se manifestou sobre a possibilidade de eleições na CBF.
Rosilene de Araújo Gomes (Paraíba)
Primeira mulher a presidir uma federação de futebol, está no poder desde 1989. Conhecida como "Dama de ferro" do esporte local, enfrentou acusações de nepotismo e desvios de verbas. Foi investigada pela CPI CBF-Nike em 2001, onde admitiu favorecimento à sua família na entidade. Recentemente enfrentou manifestações para que fosse destituída da função, mas permaneceu no cargo.
Cesarino Oliveira (Piauí)
Foi o pivô de um grande imbróglio na Federação Piauiense, que passou por duas eleições polêmicas no último ano e foi comandada no período por um interventor da CBF. Confusões no último pleito provocaram o pedido de desfiliação de 11 clubes e Oliveira acabou eleito por apenas cinco equipes que restaram na entidade. Teve seu mandato reconhecido pela CBF na última segunda, após telefonema de Ricardo Teixeira.
Marcus Vicente (Espírito Santo)
Presidente da Federação Capixaba desde 1994. Ex-deputado federal, é cotado para ser o candidato do Partido Progressista (PP) à prefeitura de Serra. Foi investigado pela CPI do futebol em 2000 por irregularidades em sua gestão e acusado de desvio de verbas da Federação
Marco Polo Del Nero (São Paulo)
Assumiu a Federação Paulista em 2003, prometendo modernização após o 'reinado' de José Eduardo Farah. Cumpriu suspensão de 90 dias e risco de banimento pelo 'Caso Tardelli', quando levantou suspeita de suborno a árbitro na rodada final do Brasileirão de 2008. Absolvido após cumprir o prazo, voltou ao poder e mantém relação estreita com Ricardo Teixeira.
Heitor Costa (Rondônia)
É o único presidente da história da Federação Rondoniense. Assumiu o cargo em 1989 e tem comandado a entidade desde então. Feroz defensor de Ricardo Teixeira, já chefiou delegações da seleção em diversas oportunidades.
Zeca Xaid (Roraima)
Preside a Federação Roraimense desde sua criação em 1974. Atualmente está em sua 11ª reeleição de uma entidade que organiza um campeonato estadual com apenas quatro equipes participantes.
Antônio Américo (Maranhão)
Comanda a Federação Maranhense desde 2011, quando foi nomeado interventor após afastamento do então presidente Alberto Ferreira, e permaneceu à frente da entidade ao vencer eleição convocada pelos clubes. É advogado e já atuou como presidente do TJD-MA.
Paulo Schettino (Minas Gerais)
Preside a Federação Mineira desde 2004 e já conseguiu ampliar seu mandato até a Copa do Mundo de 2014, apesar das críticas feitas por equipes do interior. Assumiu o cargo após saída de Elmer Guilherme, acusado de corrupção, e foi alvo de investigação pelo sumiço de R$ 1 milhão dos cofres da entidade. Aliado de Marco Polo Del Nero, deve apoiar uma possível candidatura do paulista caso haja mudanças na CBF.
Rubens Lopes
Assumiu o comando da Federação em 2006, com a morte do então presidente Eduardo Viana, conhecido como 'Caixa D'Água'. Ex-dirigente do Bangu, estaria participando de articulações para novas eleições na CBF se Ricardo Teixeira deixar o cargo.
Francisco Noveletto (Rio Grande do Sul)
No comando da Federação Gaúcha desde 2004, seria um dos articuladores de novas eleições para a presidência da CBF em caso de renúncia de Ricardo Teixeira. Empresário do ramo fonográfico, permanecerá à frente do futebol do Rio Grande do Sul até o fim da Copa do Mundo de 2014. Conselheiro do Internacional, tem um estádio com seu nome na cidade de Canoas.
José Vanildo da Silva (Rio Grande do Norte)
Presidente da Federação potiguar desde 2007, quando o então mandatário Alexandre Cavalcanti deixou o cargo por motivos de saúde. Chegou a alfinetar o governo estadual sobre a participação na Copa do Mundo. Hoje é secretário adjunto da secretaria local para assuntos do Mundial.
Hélio Cury (Paraná)
Substituto de Onaireves Moura, que ficou 22 anos no poder, assumiu o cargo em 2007 e já acertou sua permanência à frente da Federação Paranaense até 2022. Tem forte apoio das Ligas Amadoras e ficou conhecido por tomar medidas polêmicas, como obrigar o Coritiba a ceder o Couto Pereira por preço irrisório ao Atlético-PR durante a reforma da Arena da Baixada para a Copa de 2014.
Evandro Carvalho (Pernambuco)
Assumiu a presidência da Federação Pernambucana em 2011, após o falecimento de Carlos Alberto Gomes de Oliveira, que comandava a entidade havia 16 anos. Ex-opositor de Teixeira, mudou de lado e representou o presidente da CBF na última eleição da Fifa.
Delmir Peixoto (Santa Catarina)
Ex-deputado estadual, é presidente da Federação Catarinense há 27 anos e pretende se candidatar a uma nova reeleição em 2015. No ano passado seu filho agrediu um narrador no estádio.
Antônio Carlos Nunes de Lima (Pará)
Ex-secretário de segurança pública do Estado do Pará, é conhecido como "Coronel Nunes". Após dirigir a Federação local entre 1982 e 1987, reassumiu o cargo em 1994 e tem comandado a entidade desde então, com cinco reeleições ao posto. Foi chefe da delegação brasileira na Copa das Confederações de 2009, quando falou mal da África do Sul e foi censurado pela CBF.
José Carivaldo de Souza (Sergipe)
Dirige a Federação Sergipana desde 1990. Em 2008 foi indiciado pelo Ministério Público por problemas em sua gestão como prefeito de Macambira, cidade que atualmente é administrada por seu filho.
Leomar Quintanilha (Tocantins)
Senador por Tocantins desde 1995, era um dos principais representantes da “Bancada da Bola” na CPI do Futebol. Foi indiciado pelo Ministério Público por formação de quadrilha em 2005.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Farroupilha procura novo atacante

Hyantony é especulado no Farroupilha

Dispensado no inicio desta semana pelo Canoas, o atacante Hyantony acabou sendo um dos nomes especulados nesta terça-feira (28) para reforçar o elenco do Farroupilha que se prepara para a Série A2 Gaúcha.
O vice de futebol do Fantasma, Eduardo Bastos, despistou sobre a possibilidade de o atacante vestir a camisa tricolor.
- É aquilo que nós temos falado sempre. Todo bom jogador interessa e nós estamos atentos ao mercado, mas não temos nada definido em relação a qualquer novo jogador. – Explicou.
Além de Hyantony outro nome lembrado para o ataque fragatense é do experiente Alê Menezes, no entanto, esta seria uma possibilidade menos provável em função de algumas exigências consideradas fora dos padrões da equipe.
Questionado a respeito das possíveis contratações para o ataque, o técnico Badico não esconde o interesse em contar com mais um jogador para o setor.
- Atacante de área nós temos somente o Fábio Alemão e ele ainda está no DM. Eu sei das dificuldades do Clube, mas nós temos conversado muito a respeito dessa necessidade. – Revelou.

Zagueiro Renato Acerta com o Canoas

Vaná, Renato Martins e Moisés, os novos reforços do 
Canoas para o segundo turno do Gauchão
O Canoas segue se reforçando para a disputa da Taça Farroupilha. A seis dias de estrear no segundo turno do Campeonato Gaúcho 2012, o clube definiu a contratação de mais três reforços, todos para o setor defensivo: o goleiro Vaná (1° à esq, na foto), o zagueiro Renato Martins (ao centro) e o lateral-direito e volante Moisés (à dir.).

Desde o último final de semana no Complexo Esportivo, os atletas acertaram contrato até o término do Estadual e, a partir da reapresentação desta terça-feira, serão definitivamente integrados ao elenco do técnico Rogério Zimmermann. No próximo domingo, a equipe da Região Metropolitana enfrenta o Juventude no estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul.

Futebolgaúcho.com

GRÊMIO em Alerta - Automedicação de Léo Gago mobiliza atenções


Caso de automedicação de Léo Gago coloca o Grêmio em alerta
Clube quer evitar surpresas e possíveis riscos de punições sobre atletas do grupo
Caso de automedicação de Léo Gago coloca o Grêmio em alerta Ricardo Duarte/Agencia RBS 
Luís Henrique Benfica

O caso Léo Gago fez aumentar no Olímpico a preocupação quanto aos riscos da automedicação. Ao tentar combater uma gripe por conta própria, o volante se expôs ao risco de uma suspensão e forçou o técnico Vanderlei Luxemburgo a alterar o esquema tático para a partida contra o Caxias. O jogador foi multado por descumprir o regimento interno do clube.

Os alertas quanto aos riscos da automedicação são permanentes. Curiosamente, são os jogadores casados os que recebem maior orientação, pela possibilidade de absorção pela pele de cremes usados pelas mulheres. O médico Alarico Endres cita o caso de um jogador do Fluminense, flagrado no antidoping por utilizar numa lesão, inadvertidamente, o mesmo creme usado pela mulher. A medicação continha hormônio de crescimento, substância vetada pela legislação.

— Em alguns casos, a suspensão é uma estupidez — entende o médico.

O risco de suspensão não é representado apenas pelo exame antidoping. Também são uma ameaça os exames de surpresa realizados pela CBF. Um dos exemplos citados é o da ginasta Daiane dos Santos, flagrada em exame em 2009 mesmo sem estar participando de uma competição oficial.

Quinta-feira, por conta própria, Léo Gago passou a usar medicação antigripal. Informados pelo jogador na véspera da viagem a Caxias do Sul, os médicos Alarico Endres e Paulo Rabaldo descobriram que uma das substâncias da medicação poderia aparecer no exame, através de um teste quantitativo. E recomendaram que ele não atuasse.

Ouvir uma reprimenda de Luxemburgo foi o menor dos prejuízos de Léo Gago. Caso fosse flagrado no exame antidoping, o volante corria o risco de uma suspensão de até dois anos.

No Gauchão, apenas a dupla Gre-Nal solicita a realização de exames antidoping. Ela mesma banca os custos, estimados em R$ 5 mil por partida. Em jogos do Brasileirão, o valor do exame é descontado da renda do jogo.


Os riscos da automedicação:
Jogadores casados merecem cuidado especial. Há casos em que eles precisam tomar a mesma medicação recomendada às esposas, passível de ser identificada no antidoping;

Cremes íntimos usados pelas companheiras, que contenham substâncias proibidas, podem ser absorvidos pela pele do jogador durante o contato sexual e aparecer no exame. Nesse caso, recomenda-se a utilização de preservativos;

Por vezes, a medicação recomendada às mulheres dos jogadores passa pela avaliação do departamento médico do Grêmio. Há casos em que a ginecologista recomenda uma nova medicação, menos perigosa para o jogador;

O Grêmio é quem fornece a medicação aos jogadores que apresentem algum problema. Em caso de urgência, os médicos recomendam que eles comprem produtos de laboratórios credenciados pelo clube;

Curiosamente, os jogadores jovens são os que menos preocupam os médicos. Como já são advertidos desde a base quanto aos riscos da medicação, são eles os que mais consultam os médicos quanto ao que podem usar.

BEIRA RIO - Andrade Gutierrez - Banrisul até dia 7 , diz Fortunati

O imbróglio entre Andrade Gutierrez e Banrisul fez com que a visita de 45 integrantes da Fifa e do Comitê Organizador Local (COL) ao Beira-Rio, marcada para o próximo dia 7, tomasse contornos de tensão. Preocupada que a comitiva, encabeçada pelo gerente da Fifa no Brasil, Fúlvio Danilas, encontre o cenário de indefinição que se aprofundou após a nota da construtora, a prefeitura chegou a propor, nesta segunda-feia, que o encontro fosse postergado. A Fifa, porém, manteve a agenda.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

CIDADE de PELOTAS VAI ASSISTIR A FINAL

O futebol da cidade de Pelotas está em aguardos.

Na Dupla BRAFAR – mais um ano de tentativas na busca do Acesso à Primeira Divisão do Gauchão.
No Pelotas, até aqui, mais um ano tentando não brigar para “fugir do rebaixamento”.

Enquanto isso, outras comunidades estão em festa. Especificamente, Caxias do Sul e Novo Hamburgo, que terão duas das equipes do Gauchão , na final da Taça Piratini, e consequentemente, uma delas estará na grande final do campeonato .

Dois técnicos que passaram pelo futebol local, irão comandar essas equipes – Itamar Schoulle pelo NH, com  a melhor campanha do Gauchão , e a segunda melhor – do Caxias, comandada pelo técnico Paulo Porto.

Só para lembrar, outros nomes de profissionais, com passagens pelo futebol pelotense, estavam nas semifinais :

Jonatas – Bruno Salvador – Jardel – Alan – Eraldo – Zulu (Juventude)

Lino – Fabinho – Paulo Porto ( Caxias)

Itamar Schoulle – Chicão - Luiz Henrique – Zaquel – Márcio Hanm – Russo – Juba  (Novo Hamburgo )

A pergunta que não quer calar : 
Por que , em outros clubes , eles dão certo?

Sigo afirmando meu ponto de vista : alguns dos nossos conceitos de futebol estão errados.
Pecamos por vaidades e soberbas, além de discursos ufanistas, que mais servem para “fazer média com torcedores”, do que trazer idéias mais palpáveis e possíveis de realizar em nossos clubes de futebol .

 
Saiba Mais Como foi 

No Estádio Centenário em Caxias, o Grêmio foi eliminado nos pênaltis. Depois de abrir o placar com Kleber aos 17 do segunto tempo, viu a equipe da SERRA empatar aos 39 com Marcos Paulo e levar a decisão os pênaltis.

Kleber atacante do Grêmio, abriu as cobranças e fez 1 a 0 e o goleiro Paulo Sérgio fechou a série de combraças fezendo 5 x 4 e garantindo a equipe do Caxias na final da Taça Pirantini válida pelo Guchão Coca – Cola 2012.

Já o Novo Hamburgo venceu o Juventude por 3 x 2 no jogo da noite no Estádio do Vale e garantiu vaga na final.

Final da Taça Piratini
Novo Hamburgo x Caxias
Data: 29/02/2012
Horário: 22:00hs
Local: Estádio do Vale em Novo Hamburgo
Transmissão RBS TV

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

EC PELOTAS : Quem Define no Clube?


Rachas na direção do futebol

Gastos errados nas contratações de ex atletas

Diogo Rincon, Claiton : são ex atletas de futebol

Estatísticas
Alguns jogadores questionados pelos 'desempenhos'  anteriores 

"Currúculo" para contratar ex jogadores?

Qual a "filosofia" da direção executiva nessas contratações?

Perguntas,  ainda, seguem sem respostas...


quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

EC PELOTAS - Bopp falou à imprensa ... E ?

Amistosos, contratações e dispensas foram as pautas da coletiva

Bopp concedeu entrevista coletiva nesta quinta-feira
No teor da entrevista, frases :

" ... a tendência a partir de agora é ..."  
" ...Não sabemos se teremos..."
" ...muitas vezes não concordei com algumas escolhas..."

Parece que seguirá tudo igual !

Na tarde desta quinta-feira, na sala de imprensa da Boca do Lobo, após as entrevistas com jogadores que acontecem de maneira diária na Avenida, o diretor de futebol Jorge Bopp atendeu o pedido da imprensa e abordou com os veículos presentes diversos assuntos referentes ao futebol azul e ouro. 

Confira os principais trechos desta entrevista:

AMISTOSOS E/OU JOGOS TREINOS
Bopp disse que a tendência a partir de agora é de não realizar nenhum amistoso e nem jogo-treino antes do início da Taça Farroupilha, marcada para o dia 04/03.

DISPENSAS E CONTRATAÇÕES
Não sabemos se teremos dispensas ou contratações. Estamos estudando o mercado e esta questão ainda está em aberto.

DEPARTAMENTO DE FUTEBOL
Sobre a notícia divulgada pela mídia pelotense da saída de César Dias do cargo de assessor de futebol da presidência, Jorge Bopp foi bastante objetivo: “Respeito a decisão tomada pelo César. No futebol nem tudo é consenso, muitas vezes não concordei com algumas escolhas. Mas repito, respeito a atitude dele”.

Gabriel Ribeiro – Assessoria de Imprensa E.C.Pelotas

 

Últimos Acessos nas 24h

Presidente Novelletto FGF

Presidente Novelletto FGF

Paulo Paixão

Paulo Paixão

Dr. José Raymundo

Dr. José Raymundo

Árbritro Jean Pierre Lima

Árbritro Jean Pierre Lima

Técnicos Cuca e Edson Gaúcho

Técnicos Cuca e Edson Gaúcho

Técnico Dunga

Técnico Dunga

Juan - zagueiro

Juan - zagueiro